DEVO ME ASSUMIR GAY? E SE EU FOR DESPREZADO?


Não há um manual de instruções de como abordar sua mãe, pai, irmão, e demais familiares para tratar o assunto. Da mesma forma algum servo do Ministério ou amigo. O momento ideal é aquele em que estiver seguro com você mesmo e também disposto a falar de tal sentimento. Sabemos que a reação de nossos entes queridos, amigos ou até membro do Ministério pode ser adversa: aceitar ou não. Assim, se isto lhe gerar certo complexo procure a ajuda de um psicólogo, pois, este profissional através de sua técnica terá condições em auxiliá-lo, inclusive no que diz respeito a lidar com a parte emocional.

Uma coisa é certa: Apesar de ser dolorosa no início a rejeição por parte de nossos pais, irmãos, amigos ou membros do Ministério devemos ter respeito pelos mesmos. Pois, se até nós enfrentamos dificuldade quanto à autoaceitação, por que os demais seriam obrigados a compreender a situação logo de início?

Portanto, não se apavore caso houver certa resistência da família, dos pais ou aquém preferiu se abrir. Permaneça firme na fé, no respeito, no amor e caridade. Afinal, nossas boas atitudes nos justificam e falam por nós. Somos testemunhas disto! Confiai em Deus e ele cuidará de você como descrito: “Pode uma mulher esquecer-se tanto de seu filho que cria, que se não compadeça dele, do filho do seu ventre? Mas ainda que esta se esquecesse, eu, todavia, me não esquecerei de ti.” Isaías 49:15.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *