PERDI MEUS DONS

Não basta eu ser um homossexual pecador, agora, parece que nem Deus eu sinto mais!

Este diálogo é muito comum na caminhada espiritual do jovem gay. Muitos acham que chorar ao ouvir a pregação da palavra, dar um glória na igreja ou “falar em línguas”¹ é a única forma de expressar seus dons e também de estar ligado com Deus. Desta forma, acabam por acreditar que a “pausa” de tais sentimentos está ligada a sua sexualidade.

No entanto, se nos atentarmos ao conceito de dom, veremos que este é um talento, uma virtude, dos quais, todos somos capazes de ter e exercer, basta se dispor, seja em sentido material, seja no exercitar de sua espiritualidade. Além disso, se faz importante observar que dons são como ferramentas guardadas em uma caixa, cujo uso será destinado conforme a necessidade. Quem ficaria com um martelo na mão durante as 24 horas de um dia caso não precisasse usá-lo? Logo, ser gay não nos faz perder dons ou a ligação com o Criador, mas sim, a descrença em nós mesmos, igualmente no amor Dele para conosco. Deus está em tudo e em todos, é só buscá-Lo dentro de si e não afastar-se por medo; por autocondenação; receio de ser julgado etc. Dons são dádivas divina e uma vez agraciado com eles permanecerão em nós, pois, nos servirão como armas para vencermos as intempéries desta vida.  

Há diversas passagens na bíblia, especialmente no novo testamento, tratando sobre as questões dos dons e suas manifestações. Uma bem interessante, por demonstrar claramente o sentido amplo de dom, está em Romanos 12:4-5, eis o trecho: “Porque assim como em um corpo temos muitos membros, e nem todos os membros têm a mesma operação, assim nós, que somos muitos, somos um só corpo em Cristo, mas individualmente somos membros uns dos outros.” Reparem que esta citação não apenas demonstra a existência de vários dons, como a importância de cada um, enquanto pessoa, independente do talento que se tenha. Afinal, todos, sem exceção, possuem seu valor. Exercitar o bem, por exemplo, tanto em oração, quanto em ação é também um dom. Levar ao próximo uma palavra de conforto; fazer sorrir quem está triste; cantar; tocar um instrumento; suprir a necessidade material de alguém; alegrar-se com a vitória de seu irmão; ajudar na medida de sua condição entre outras boas ações são também dons! Ser grato e ter fé é um dom! E a prática destes talentos nos faz sentir Deus, porquanto, ao tocarmos o coração do nosso próximo, além de alegrarmos nossa alma, demonstramos gratidão, exercitando assim uma comunhão com Ele. De acordo as palavras de Jesus: “quando o fizestes a um destes meus pequeninos irmãos, a mim o fizestes.”²

Cuide apenas em não maldar seu próximo ou ter no coração sentimentos perversos, pois, tais atitudes independente da sexualidade, afasta de fato o indivíduo de Deus. Existe um trecho bíblico bem interessante que dá todo sentido a estes dizeres, vide I Coríntios capítulo 13.

Diante disso, não importa o estado em que está o teu espírito. Se de repente “parou” de manifestar “linguagens” ou não sente virtude durante a exortação da palavra. Os dons são diversos, e a nossa vida, tanto material quanto espiritual são mutáveis, possuem fases das quais mesmo tristes, desesperançados, permite-nos aprender, aperfeiçoar a fé que se tem e evoluir enquanto aqui caminhamos.

¹ falar em línguas: termo usado por membros da CCB referente a manifestação, conforme a fé, em linguagens diversas,base: Atos capítulo 2.
² citação contida em Mateus 25:45.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

w

Conectando a %s

Anúncios
Anúncios
%d blogueiros gostam disto: